Acabou. E agora?

Acabou. A palavra em si carrega o peso do fim.

Mas o que é o fim, senão uma oportunidade de você começar de novo e mudar o seu destino para melhor? Se acabou, é porque não estava tão bom. E quando fica ruim, a tendência é piorar com o tempo. Então, em vez de ficar triste, alegre-se com a possibilidade de mudar o seu futuro, de alcançar uma condição de vida mais satisfatória que a anterior. Use a experiência passada para ganhar sabedoria e perspicácia! Aja de forma mais inteligente para obter mais acertos que desacertos.

Ao final de um relacionamento, é comum as pessoas ficarem confusas e saudosas. Inclusive, sentirem muita saudade. Isso acontece porque costuma-se pensar no tempo que foi bom. Essas lembranças camuflam a realidade, sobrepõem as memórias mais recentes, ligadas ao que motivou o esfriamento e o fim da relação. As pessoas se esquecem de que “se não tivesse acabado”, as insatisfações, os conflitos, as inquietações, continuariam existindo.

Então, se acabou, veja esse momento como uma grande chance de iniciar um novo capítulo da sua história, com uma bagagem maior de aprendizado. O fim sempre anuncia uma nova possibilidade! De começar de novo, tentar mais uma vez! Por mais paradoxal que seja, o fim não é o fim.

Não lamente o fim. Quando ele chega, significa que foi cumprido o propósito. Mesmo que exista a sensação de que não foi vivido tudo, são as lacunas que levam à reflexão e ao crescimento. Esse vazio só pode ser preenchido pelo seu amor-próprio.

Estar junto não quer dizer estar se relacionando. Somente quando há amor entre duas as pessoas é possível elas se relacionarem. O problema é que aprendemos a amar errado. Nos ensinaram que nós temos que amar o outro. Só que esqueceram de explicar que só podemos amar o outro se, antes, amarmos a nós mesmos. Não há outra forma de amar.

Mas nós precisamos desesperadamente do outro porque amar a si mesmo, sozinho, é narcisismo, egocentrismo. Então, é necessário que o meu amor saia de mim, passe pelo outro e volte para mim, enriquecido. O amor é circunferencial.

Nunca o meu amor fica na mão do outro. Jamais alguém pode me trair, me abandonar ou rejeitar. Somente eu mesmo posso me trair, me abandonar ou me rejeitar.

Quanto mais eu estiver cheio de amor por mim, mais eu posso amar o outro e fazer esse amor retornar pra mim. É aí que eu me encontro e me realizo. Aprenda isso e comece outra vez. Ame-se, ame e seja feliz.

Foto: https://br.pinterest.com/pin/784822672533649707/

Gostou deste insight? Deixe seu comentário abaixo: